Esperon recomenda | Filmes para assistir no Festival do Rio 2017

Mais um ano, mais um Festival e mais um post de recomendações baseadas em praticamente nada!

Matheus Esperon

Algo certo de acontecer anualmente no Rio de Janeiro, além de múltiplas intervenções do exército na segurança pública, é o Festival do Rio. A mostra internacional este ano traz 250 filmes de 60 países, desde produções desconhecidas até prévias badaladas, como o longa sobre uma mulher que decide transar com um homem peixe. Este exemplo é totalmente real.

Baseado inteiramente em fotos e sinopses (sabe o ditado “não julgue um livro pela capa”? Então, esquece), listei novamente algumas “recomendações” que serão exibidas de 05 a 15 de outubro.

A Forma da Água (The Shape of Water), 2017


O novo filme do [realmente, sem hipérbole] visionário Guillermo del Toro se passa durante a Guerra Fria, nos anos 60, e conta a história da solitária Elisa e sua amiga Zelda (Octavia Spencer, não a princesa), que trabalham num laboratório americano. O mistério começa quando as duas descobrem um experimento secreto do governo.

O longa já vem sendo aclamado lá fora e ainda conta com Michael Shannon no elenco.

The Disaster Artist, 2017


A dramatização dos bastidores de ‘The Room’ (o melhor pior filme de todos os tempos) com James Franco, Seth Rogen e Dave Franco promete ser uma das melhores comédias do ano – com direito a uma surpreendente fidelização ao clássico de Tommy Wiseau.

Se você nunca viu o “original”, junte alguns amigos (diversão garantida, eu prometo) antes de conferir ‘The Disaster Artist’.

Doentes de Amor (The Big Sick), 2017


O único filme da lista que já assisti, ‘Doentes de Amor’ conta a história real de como o comediante Kumail Nanjiani (‘Silicon Valley’), descendente de paquistaneses ortodoxos, conheceu sua esposa americana Emily e precisou lidar com o choque de culturas (OTÁRIO!).

A produção conta uma história deliciosa, engraçada e que às vezes fica real sem você nem esperar. Para saber mais impressões sobre ‘The Big Sick’, ouça o Semana dos 10 #83.

Bom Comportamento (Good Time), 2017


Robert Pattinson estrela o filme da querida produtora A24 (saiba mais no Sd10 #79) sobre um jovem que precisa ajudar seu irmão a escapar da prisão na mesma noite que um roubo planejado pelos dois dá errado.

Filmes que se passam num curto espaço de tempo são o famoso tudo de bom.

Logan Lucky – Roubo em Família (Logan Lucky), 2017


Falando em roubos e irmãos, aqui temos a história de dois irmãos que tentam realizar um assalto durante uma corrida da NASCAR.

Channing Tatum, Adam Driver e Daniel Craig estrelam e Steven Soderbergh dirige. Uma pena que o filme flopou nas bilheterias dos EUA, por mais que tenha sido muito elogiado pela crítica.

Detroit em Rebelião (Detroit), 2017


Kathryn Bigelow dirige a adaptação da história real das rebeliões de Detroit de 1967. O elenco é recheado (John Boyega, Anthony Mackie, Will Poulter, Jack Reynor e John Krasinski) e Bigelow sempre entrega filmes com profundas críticas sociais.

Pequena Grande Vida (Downsizing), 2017


Um dos meus filmes mais aguardados do ano pela premissa: Um mundo onde é possível se encolher para multiplicar seus recursos (é incrivelmente mais barato viver, por exemplo, numa casa do tamanho de uma caixa de sapatos) e levar uma vida mais simples.

Matt Damon e Kristen Wiig nessa dramédia com uma interessante vibe introspectiva.

O Que te Faz Mais Forte (Stronger), 2017


Tudo que sei sobre esse filme é que ele trata sobre um homem envolvido no atentado de Boston de 2013 e, pelo que estão dizendo lá fora, tem Jake Gyllenhaal no que talvez seja a sua melhor atuação da vida.

O ator já atua muito acima da média há anos. Será que dessa vez a indicação ao Oscar vem?

A Guerra dos Sexos (Battle of the Sexes), 2017


Steve Carrell. Emma Stone. Mesmos diretores de ‘Pequena Miss Sunshine’. História real de uma partida de tênis em 1973 entre a #1 do mundo Billie Jean King e ex-campeão (e machista) Bobby Riggs. Não é preciso de muito mais para ficar interessado.

Marjorie Prime, 2017


Sabe aquele episódio de ‘Black Mirror’ no qual a mulher começa a interagir com uma reprodução de seu falecido marido? Imagine essa história (na verdade, com um hologramas e sogro falecido no lugar de marido) num filme estrelado por Jon Hamm e temos ‘Marjorie Prime’.

O Estado das Coisas (Brad’s Status), 2017


Ben Stiller, um dos meus atores favoritos, estrela a dramédia sobre um pai que leva seu filho numa road trip para escolher sua futura faculdade mas não consegue deixar comparar sua vida com as de antigos amigos.

Ben Stiller mais introspectivo? Tô dentro.

Terra Selvagem (Wind River), 2017


Um ranger veterano ajuda a investigar o assassinato de uma nativa americana como forma de se redimir se um ato de irresponsabilidade que levou a desastre no passado.

Jeremy Renner e Elizabeth Olsen protagonizam a história que tem um cheirinho de mistério bacana.

I, Philip, 2016


O curta sci-fi de 14 minutos, feito para ser assistido em realidade virtual, conta a história do desenvolvimento do primeiro androide humano que é simplesmente cópia do autor Philip K. Dick.

Sci-fi + oportunidade de testar RV logo num cinema? Quero.

Sergeant James, 2017


Ainda no campo da realidade virtual, o curta de 7 minutos acompanha Leo, um menino que pode jurar que há algo embaixo da sua cama assim que sua mãe apaga a luz do quarto.

Parece terror (eu achei que fosse pela sinopse) mas o gênero oficial é fantasia e família. Ufa!

Kim Dotcom: Agarrado na Web (Kim Dotcom: Caught in the Web), 2017


Documentário sobre o controverso fundador do Megaupload, Kim Dotcom, o homem mais procurado online.

Se uma das partes mais interessantes de ‘Lo and Behold’ (doc sobre a internet do Festival 2016) foi o segmento dos hackers, imagino o quão divertido esse documentário deve ser.

O Animal Cordial, 2017


Filme nacional com uma pegada aparentemente bem diferente do que estamos acostumados, ‘O Animal Cordial’ conta a história de um assalto a um restaurante e as ações de seu dono, o pacato Inácio, que precisa decidir o que fazer para proteger seus empregados e clientes.

Seria um ‘Duro de Matar’ culinário? Veremos.

As Entrevistas de Putin (The Putin Interviews), 2017


Por mais que Vladimir Putin seja um maníaco, ele não deixa de ser uma figura instigante, especialmente pelo mistério que parece sempre cercá-lo. O diretor Oliver Stone conseguiu trespassar esta cortina de fumaça para entrevistar o presidente da Rússia e questioná-lo sobre temas delicados, como a sempre complicada relação EUA-Rússia.

Será que vai ter ursso?

Brigsby Bear, 2017


Superprotegido por seus pais durante 25 anos, James descobre que foi o único que assistiu a Brigsby Bear Adventures, seu programa de TV favorito. Lutando para aceitar o fim abrupto do programa, ele começa a perceber que as lições que Brigsby lhe ensinou.

Parece ser um filme bem único, com direito a participação de ninguém menos que Mark Hamill.

Fuga! (Jailbreak), 2017


É claro que não poderia faltar porradaria asiática no Festival do Rio!

A gangue Borboleta (sim), composta inteiramente por mulheres (sim), está envolvida em todo tipo de crime imaginável. Quando Playboy (sim), seu único membro homem (sim), é capturado e encarcerado pela polícia, começa uma revolta na cadeia, forçando um pequeno grupo de policiais a fazerem de tudo para sobreviver.

The Villainess (Aknyeo), 2017


Ainda no campo de porradaria asiática, Sook-hee é uma assassina sanguinária que deixa sua vida de violência no passado. Mas quando dois homens aparecem de repente na sua vida, ela vai precisar reviver o seu lado mais mortal.

Eu senti um cheiro de ‘John Wick’?!

Prevenge, 2016


Ruth, grávida de sete meses, acredita que seu bebê está se comunicando com ela e dizendo para que ela mate todos que cruzam o seu caminho.

Sim. Pois é.

Esses foram apenas alguns dos filmes do festival que chamaram minha atenção. A lista completa você encontra aqui.

Algum passou batido por mim? Qual você mais quer assistir? Comenta aí embaixo! :)