Review | Ad Astra

Se você for com a expectativa certa, Ad Astra é um excelente estudo de personagem!

Bernardo Dabul

Ad Astra não é exatamente o que os trailers prometem. Enquanto as prévias focam muito na pergunta eterna de “será que há vida lá fora”, diretor James Gray está mais interessado em fazer um estudo de personagem. Só calhou desse personagem estar no meio do espaço, Mesmo assim, o filme ainda é uma experiência ótima para aqueles em busca de um filme que se passa no espaço.

Seguimos Roy McBride (Brad Pitt), um astronauta que segue a mesma carreira do seu pai (Tommy Lee Jones) que desapareceu em uma missão há algumas décadas. Roy vive solitariamente, sendo divorciado e focando apenas no seu trabalho. Sua rotina é interrompida quando um surto eletromagnético atinge a Terra e Roy é escolhido para ir em uma missão investigar a origem, que suspeitam ser a nave que havia sumido junto com seu pai.

Como falei no início, o objetivo do filme não é tanto explorar o que aconteceu com o pai de Roy ou se de fato existe vida fora do sistema solar (embora o filme aborde isso passageiramente), mas sim explorar quem é Roy McBride e porque ele é do jeito que é. Nesse aspecto o filme é excelente, com uma atuação incrível de Brad Pitt que possibilita entender tudo que esse personagem está sentindo e pensando. Por sinal, ‘Ad Astra’ insiste em fazer narrações para explicar o que está acontecendo e muitas vezes isso atrapalha mais que ajuda. Seria melhor ter deixado a atuação falar por si.

Isso não quer dizer que o universo em que essa história se passa não seja bem construído. Se tratando de um futuro próximo, as tecnologias são próximas do que temos hoje, mas com alguns elementos adicionais que ajuda a diferenciar do presente. O fato de que existem viagens para Netuno é uma pequena forçada de barra, mas de resto é tudo bem plausível de se ver em 50 anos.

O áudio do filme, tanto trilha sonora quanto a sonorização, também ajuda muito na imersão nesse universo. Mesmo não tendo músicas que ficam na cabeça, o trabalho de Max Ritcher é simplesmente espetacular, complementando muito bem a direção de James Gray, que também é excelente. O uso de iluminação é o que mais chama a atenção, sendo usadas para inserir um tom surrealista ao filme.

Divulgação

Ad Astra

No fim das contas, se você vai gostar ou não de ‘Ad Astra’ depende das suas expectativas para o filme. Se você quer um sci-fi com aliens e bizarrices extra dimensionais, esse não é o filme para você. Mas se o que procura é um estudo de personagem que se passa em um futuro próximo muito bem construído (e no espaço), pode ir tranquilo!

  • Atuação de Brad Pitt
  • Universo do filme é muito bem feito
  • Uso de iluminação pelo diretor
  • Trilha sonora e sonorização excelentes
  • Narração DEMAIS
Nota: 4/5