Review | Beleza Oculta

Com amigos como esses, quem precisa de inimigos?

Bernardo Dabul

Antes de começar, só queria chamar à atenção que o título original desse filme era ‘Collateral Beauty” (Beleza Colateral). Por algum motivo, quando traduziram oficialmente, resolveram colocar Beleza Oculta. Levando em consideração o enredo do filme, essa foi uma ótima adaptação e merece ser elogiada.

Mas agora falando do filme em si… RAPAZ, por onde começar? Acho que contar a base da história é melhor para dar um certo contexto. Vamos lá.

Começamos o filme vendo Howard (Will Smith) dando uma palestra para os funcionários de sua empresa de propaganda, falando como os três pontos chaves para atingir o ser humano são morte, tempo e amor. Howard é energético e alegre durante a palestra, mas após um pulo no tempo de três anos, o protagonista mudou e se tornou uma pessoa reclusa. Descobrimos que foi a perda de sua filha de seis anos que causou essa mudança radical.

Três amigos de Howard, Whit (Edward Norton), Claire (Kate Winslet) e Simon (Michael Peña) ficam preocupados que ele não está conseguindo se recuperar do trauma e a empresa está perdendo contato atrás de contato por causa de sua ausência.

É nesse momento que você pensa “os amigos de Howard vão ajudar ele a superar essa experiência extremamente traumática e horrível da vida dele”. Na verdade, eles contratam três atores para interpretar a Morte (Helen Mirren), Tempo (Jacob Latimore) e Amor (Keira Knightley) para confrontar Howard e fazer que ele pareça maluco, forçando-o a vender suas ações da empresa. Já está invejando esses amigos?

Infelizmente não tem outra forma de enxergar esses personagens de outra forma além de “pessoas horríveis que estão apunhalando seu amigo pelas costas por motivos egoístas”. É CLARO que o filme tenta pintar como se eles não tivessem outra escolha, mas sejamos sinceros: quem garante que esse plano não iria PIORAR a situação de Howard?

Piores. amigos. EVER.

Whit, Claire e Simon também tem suas próprias histórias que andam em paralelo com os três conceitos que confrontam Howard, mas é tudo tão forçado que é impossível não soltar um “ugh” toda vez que o filme acha que foi espertinho.

O filme também possui alguns plot twists, mas a maioria da para ver vindo de longe. Só um deles que pega de surpresa, mas ao lado do desastre que é esse filme, não muda muita coisa.

Quanto as atuações, todos os atores são extremamente habilidosos e é claro que dão tudo de si, mas o roteiro não ajuda nem um pouco. O que mais sofre com isso é o próprio Will Smith. Eu gostaria muito de entender porque Hollywood insiste em pegar o homem mais carismático do mundo e colocá-lo em papéis onde ele não usa essa arma poderosa. As cenas que ele resolve falar e expressar o que está sentindo são as mais poderosas do filme inteiro, grande parte por causa do trabalho do ator, mas elas são tão raras que fico embasbacado com essa decisão.

Beleza Oculta

Beleza Oculta tenta ser um filme que fala sobre como lidar com tragédias pessoais, porém a maioria dos personagens são pessoas tão horrorosas que fica difícil se investir nessa história. Mais uma vez desperdiçaram Will Smith.

  • Adaptação do título
  • Will Smith quando ele resolve mostrar emoções...
  • ...pena que é quase nunca
  • Filme pinta pessoas horríveis como amigos tentando ajudar
  • Plot twists previsíveis
  • Histórias de Whit, Claire e Simon são fracas
Nota: 2/5