Review | Coringa

Testando os limites da empatia…

Bernardo Dabul

Coringa vem sendo um filme polêmico desde que ele começou a ser mostrado para críticos. A discussão girava principalmente em torno do quão amigável o filme é com culturas tóxicas encontradas pela internet. Tendo a oportunidade de ver o filme, posso dizer que certamente existe o que se elogiar no filme, mas o resultado final ainda tem uma mensagem intragável.

Embora o Coringa seja um personagem que propositalmente nunca teve uma história de origem concreta, nessa versão ele era conhecido primeiramente como Arthur Peck (Joaquin Phoenix). Arthur sonha em ser um comediante, mas enquanto busca essa carreira ele trabalha como um palhaço. O filme faz questão de mostrar como Arthur tem saúde mental questionável e a sociedade de Gotham pouco se importa em ajudar ele. Isso começa uma cadeia de eventos que dá origem ao vilão famoso.

Vamos começar por o que dá para elogiar nesse filme. A atuação de Joaquin Phoenix é excelente, independente do que você ache dos temas tratados. O ator consegue trazer para sua interpretação todas as peculiaridades, tiques e insanidade esperada do personagem de forma sutil, que ao longo do filme vai amplificando cada vez mais.

A direção de Todd Phillips também é bem interessante, fluindo entre calma e agitada em sincronia com o estado mental do seu protagonista. Assistindo ao filme eu estava em constante sensação de angústia (mas talvez isso seja por conta do repúdio a forma que o filme retrata o Coringa).

O problema é que esses pontos positivos de pouco adiantam quando se leva em consideração a forma que o filme escolhe mostrar as ações de Arthur/Coringa. O filme todo é mostrado como ele na verdade é uma vítima de um sistema social quebrado, descartado da sociedade. Todd Phillips pede que a audiência tenha pena do personagem, mesmo quando ele começa a matar sem pudor, como se isso fosse alguma justificativa válida.

Além disso, existe uma linha narrativa pouco explorada sobre a batalha de classes em Gotham, mas ela é muito mal explorada e o conflito é escalado de forma muito repentina. A impressão é que o filme queria explorar mais o tema de como a sociedade moderna é disfuncional, mas acabou só fazendo apologia ao comportamento de seu protagonista.

Divulgação

Coringa

'Coringa' podia ter sido diferente, podia ter sido melhor. Infelizmente, o que recebemos é um longa que aliena os espectadores, pedindo para tolerarmos e sentirmos pena de um personagem intolerável, apesar da excelente atuação e direção.

  • Atuação de Joaquin Phoenix
  • Direção de Todd Phillips
  • A forma que o filme retrata o Coringa, pedindo pena para justificar suas ações
  • Abordagem rasa sobre a luta de classes
  • Crítica sobre a disfuncionalidade da sociedade moderna nunca se concretiza
Nota: 2/5