Review | Doutor Estranho

Salvo alguns pequenos problemas, Doutor Estranho é uma ótima apresentação ao Mago Supremo!

Bernardo Dabul

O universo cinemático da Marvel tem sido bastante pé no chão. Claro, existem deuses nórdicos que na verdade são extraterrestres, mulheres com poder de roteiro e guaxinins falantes viajando pelo espaço, mas tudo isso ao menos tenta se basear na ciência por mais absurdo que seja. E então vem Doutor Estranho abrindo as portas para uma nova faceta deste universo, trazendo não só magia como outros aspectos para o telão. Mas a grande questão é: isso tudo funciona? A resposta é SIM, com alguns poréns.

A história segue o Dr. Stephen Strange (Benedict Cumberbatch), um neurocirurgião extremamente talentoso, mas com um ego tão grande quanto o número de vidas que ele já salvou (spoiler: imenso). Porém ao sofrer um acidente de carro um tanto quanto exagerado, Strange tem suas mãos praticamente destruídas, impedindo-o de praticar sua profissão.

Depois de recorrer a todos os recursos possíveis da ciência, Strange vai para Katmandu com o dinheiro que lhe resta ao encontro da Anciã (Tilda Swinton), que supostamente poderá ajudá-lo a recuperar suas mãos. Porém ao encontrá-la, Strange descobre que o universo vai muito além do que o mundo que conhecia até então e assim se torna um pupilo da Anciã para aprender a usar magia.

doutor-estranho-ancia

Infelizmente a trama principal segue um caminho extremamente similar à origem de Tony Stark, o que tira um pouco do impacto da jornada do herói titular. Porém depois que Strange chega em Katmandu, a história começa a ter mais personalidade, trazendo à tona toda a magia e demais aspectos fantásticos normalmente associados ao personagem. O clímax do filme especialmente é extremamente criativo, sendo uma das partes mais divertidas.

Infelizmente a tradição de vilões da Marvel a serviço da evolução dos heróis continua, então pouco tempo é dedicado para Kacelius (Mads Mikkelsen). A história como um todo gira em torno de Strange e seus aliados, deixando os vilões apenas como catalisadores para o avanço da narrativa.

O que seria desse filme sem magias? Fico feliz então em dizer que a forma com que elas são trazidas para o telão é simplesmente espetacular. Em um mundo onde existem os filmes do Harry Potter, é difícil se distanciar desse padrão estabelecido, porém ‘Doutor Estranho’ consegue seguir seu próprio caminho, criando uma identidade muito mais surrealista. Por outro lado, é uma pena que o escopo das magias seja muito limitado, com até mesmo magos mais experientes usando somente dois ou três feitiços.

doutor-estranho-inception

Já que estamos falando sobre a estética das magias, me sinto obrigado a comentar sobre o visual do filme em geral: é fantástico. Os trailers mostram apenas uma faceta da direção visual, mas ‘Doutor Estranho’ tem outras cartas na manga que não ouso revelar aqui. Só vá assistir e prepare seus olhos e cérebro.

Caso não seja óbvio pelo elenco, as atuações são de primeiríssima qualidade. Benedict Cumberbatch tomou o papel de Stephen Strange para si e fez uma versão do personagem que arrisco dizer que será tão icônica quanto Robert Downey Jr. como Tony Stark ou Hugh Jackman como Wolverine. Tilda Swinton também é outra que domina seu papel, tendo uma presença fortíssima em cena que ofuscaria qualquer elenco menor. Chiwetel Ejifor também faz um ótimo trabalho como Mordo, tendo um dos melhores arcos no filme. Definitivamente será um personagem importante no futuro da franquia.

Mads Mikkelsen faz o possível com o pouco que lhe foi entregue, mas infelizmente seu personagem não se destaca o suficiente para ser memorável. Rachel McAdams também sofre por receber uma personagem pouco desenvolvida, ficando apenas como interesse amoroso para o protagonista.

Para finalizar este review, um breve aviso: ‘Doutor Estranho’ traz DUAS cenas pós créditos, então fique no cinema até o fim! Ambas são muito boas e abrem possibilidades interessantes para o futuro do universo cinemático!

Divulgação

Doutor Estranho

‘Doutor Estranho’ é um espetáculo, sem sombra de dúvida. Todo o visual do filme é lindo, valendo o ingresso só por isso. O fato das atuações serem fantásticas e a história interessante (apesar das semelhanças com Homem de Ferro) são só a cereja no bolo. Compre seu ingresso e se prepare para uma viagem!

  • Visual espetacular
  • Elenco fenomenal
  • Sério, não consigo superar o visual desse filme
  • História divertida
  • MANO, O VISUAL DESSE FILME!
  • Origem de Strange lembra Tony Stark
  • Poucas magias
  • Vilão descartável
Nota: 4/5