Review | Homem-Aranha: De Volta ao Lar

Finalmente temos um forte concorrente para a versão definitiva do Homem-Aranha nos cinemas!

Bernardo Dabul

Homem-Aranha: De Volta ao Lar é um filme muito importante tanto para a Marvel, quanto para a Sony. Embora essa seja a terceira versão do personagem nos telões, é seu primeiro filme solo dentro do universo cinemático da Marvel. Assim, a pressão está montada para criar a versão definitiva do cabeça de teia.

O filme acompanha Peter Parker logo depois dos acontecimentos de ‘Capitão América: Guerra Civíl’. Ele retorna para casa e deve novamente seguir sua vida de adolescente, focando na escola e voltando somente a combater crimes pequenos. Porém, depois de sua última missão, Peter sente que está pronto para mais e quer a todo custo impressionar Tony Stark, para ser recrutado como um membro oficial dos Vingadores.

É aí que o Homem-Aranha se depara com um grupo de assaltantes com armas extremamente avançadas. Ele toma para si investigar o ocorrido e de onde vieram os armamentos, partindo do princípio de que se conseguir derrotar esses vilões, o Sr. Stark com certeza irá notar seu valor. Mal sabe o jovem herói que ele está mexendo com inimigos além do esperado.

Um dos principais pontos fortes do filme é a omissão da história de origem do Homem-Aranha. Depois de duas versões do personagem, todos já sabem como este conseguiu seus poderes e como virou herói. Estas situações são resumidas em rápidas linhas de diálogo, confirmando que elas ocorreram, mas sem precisar mostrá-las mais uma vez.

Outro fator muito bem explorado é como Peter ainda é um adolescente (dessa vez interpretado por Tom Holland, que de fato parece um adolescente!) e tem muito o que aprender sobre ser um herói. O filme mostra ele lutando consigo mesmo para fazer bom uso de seus poderes, cometendo erros e sendo ingênuo. O Homem-Aranha mostrado aqui ainda não é o que conhecemos dos quadrinhos, mas sim um que está se desenvolvendo aos poucos.

‘De Volta ao Lar’ também faz ótimo uso do universo cinemático da Marvel. Outros filmes nunca realmente passaram a impressão que esses personagens todos viviam em um mesmo mundo (com a exceção óbvia dos Vingadores e Guerra Civil). Porém Homem-Aranha puxa muitos acontecimentos dos longas anteriores e os utiliza muito bem. Até mesmo Tony Stark, que foi mostrado bastante nos trailers, tem uma presença meramente de apoio, sem roubar o holofote de Peter Parker.

Porém o aspecto mais impressionante do filme é o seu vilão, Adrian Toomes, interpretado por Michael Keaton. Pela primeira vez desde Loki temos um oponente que é bem desenvolvido, tem um motivo para seus atos e com qual a plateia consegue se relacionar. Também ajuda que a performance de Keaton é excelente, com uma presença ameaçadora.

Falando em atuações, Tom Holland também é fantástico como Peter Parker e Homem-Aranha, incorporando bem o jeito estranho da persona pública, enquanto ao mesmo tempo domina a sagacidade e alto astral do herói. Mesmo nos momentos mais pesados, não deixa a desejar, mostrando que também sabe incorporar o lado mais vulnerável do personagem.

Infelizmente o filme falha na trilha sonora. Normalmente filmes da Marvel já não possuem trilhas memoráveis, mas nesse caso é especialmente ruim pois poderiam ter aproveitado a música tema do desenho dos anos 60, que é marcante e muito conhecida.

Divulgação

Homem-Aranha: De Volta ao Lar

'Homem-Aranha: De Volta ao Lar' é o retorno triunfal do cabeça de teia para a casa Marvel. Com atuações excelentes e um filme que realmente parece fazer parte do universo compartilhado Marvel, temos aqui uma versão cinemática do herói, que veio para ficar!

  • Peter Parker jovem e aprendendo a ser herói
  • Vilão bem desenvolvido
  • Filme realmente integrado no universo cinemático Marvel
  • Atuações de Tom Holland e Michael Keaton
  • Trilha sonora é uma oportunidade perdida
Nota: 5/5