Review | Logan

Depois de tanto tempo, Logan é finalmente o filme dos X-Men que tanto esperamos!

Bernardo Dabul

Finalmente a Fox acertou com Logan. Depois de todo o horror de X-Men: The Last Stand, X-Men Origins: Wolverine e X-Men: Apocalypse, FINALMENTE temos um filme dos mutantes que podemos chamar de ÓTIMO. Eu honestamente não achei que isso aconteceria sem a mão da Marvel entrando na jogada.

Uma das grandes vantagens de ‘Logan’ é que, ao se passar em 2029, ele se distancia de todos os filmes anteriores. Nesse futuro, mutantes praticamente não existem mais, com os poucos restantes vivendo escondidos e os X-Men somente sendo vistos em HQs. O mais interessante é que poucos detalhes são dados imediatamente, sendo necessário observar as pistas que o filme dá para entender melhor seu mundo.

A história começa seguindo Logan, que está trabalhando como motorista de limousine para conseguir dinheiro e cuidar do Professor Xavier. Seus dias de Wolverine já passaram há muito tempo e agora tudo que ele quer é arrecadar o que precisa para comprar um barco e viver o resto de seus dias em alto mar com seu mentor.

Infelizmente, esses planos são rapidamente arruinados quando uma mulher pede ao ex X-Man proteção para ela e uma menina chamada Laura. Logan, do jeito carinhoso e amável que só ele sabe ser, diz um belo não e vai embora, mas seria um tanto sem graça se os créditos rolassem aí, né? Então, não demora muito para a menina acabar ficando sob a guarda de Logan e Xavier, com os três indo levá-la para um lugar seguro na Dakota do Norte.

O ponto forte da história sem dúvida é a relação entre Logan e Laura, que vai evoluindo ao longo do filme. Os dois se complementam muito bem, uma vez que ele começa ranzinza e ela em total silêncio e distante, mas com o decorrer do filme os dois vão se encontrando um no outro, formando um laço forte que nem precisa de diálogo para ser percebido.

O arco do Professor Xavier também é fantástico, mostrando que o homem que vemos no filme é apenas uma sombra do líder dos X-Men que conhecíamos no passado. Aqui ele é mais vulnerável, cheio de arrependimentos, mas ainda tentando redimir uma das únicas pessoas que ele ainda se importa nesse mundo, o Logan.

Os vilões são a parte menos desenvolvida do filme, estabelecendo apenas motivos básicos para estarem atrás dos heróis, mas isso está longe de ser um problema grave, uma vez que o foco é mantido no trio principal e sua jornada.

Por mais que a história seja ótima e os personagens bem explorados, tudo seria em vão se as atuações fossem fracas. Traz um sorriso no meu rosto dizer então que todos os atores envolvidos dão um SHOW.

Hugh Jackman, que já falou que essa será sua despedida do Wolverine, encerra sua jornada trazendo peso ao personagem, mostrando um homem cansado e sem propósito na vida, além de cuidar de seu mentor. O lendário Patrick Stewart também não deixa a desejar, fazendo uma versão diferente do Xavier que estamos acostumados, devido a tudo que o personagem passou. Consegue ser ao mesmo tempo trágico e hilário, o que não é algo fácil.

Embora os dois acima tenham mandado muito bem, foi uma reprise para ambos. A real surpresa aqui está na atriz mirim Dafne Keen, tendo sua estréia como Laura (ou X-23 para os fãs). É difícil achar crianças que atuam bem, mas Dafne consegue transmitir tudo que Laura pensa e sente sem nem abrir a boca. É impossível não se apaixonar pela personagem.

Finalmente, o fato do filme ter classificação indicativa de 18 anos permitiu que a real experiência do Wolverine fosse para o telão. ‘Logan’ é extremamente violento, mostrando o real estrago que garras de adamantium podem fazer no corpo humano. É uma experiência visceral que talvez não agrade os fãs mais sensíveis, mas encaixa perfeitamente no filme.

‘Logan’ estreia dia 2 de março de 2017

Divulgação

Logan

'Logan' é o filme dos X-Men que esperamos por muito tempo. É uma história mais contida, porém que trabalha muito bem todos os personagens e a relação entre eles. Fale o que quiser dos filmes anteriores, mas 'Logan' está em um nível totalmente diferente.

  • História mais contida, distanciada dos filmes anteriores
  • Personagens com arcos fantásticos
  • Atuações sensacionais
  • Classificação indicativa de 18 anos
  • Vilões pouco explorados
Nota: 5/5