Review | Star Wars: Os Últimos Jedi

Um filme excelente, mesmo não sendo perfeito

Bernardo Dabul

Star Wars, para mim, é sempre algo difícil de avaliar. Ao crescer, perdi conta das vezes que vibrei ao ver o Luke destruir a Estrela da Morte, o Darth Vader jogar o Imperador penhasco abaixo e Anakin lutar contra Obi-Wan em Mustafar. A franquia está longe de ser perfeita (estou olhando para você, Jar Jar Binks e Anakin criança), mas me influenciou muito e é parte de quem sou hoje.

Com isso, não é difícil  imaginar o nível de animação que estava ao entrar na sala de cinema para ver o oitavo capítulo. Ao sair, depois de duas horas e meia de filme, tinha noção completa que Os Últimos Jedi é muito como a franquia como um todo: não é perfeito, mas ainda me traz uma alegria ao assistir que nenhum outro filme consegue proporcionar.

Este review será um pouco diferente (e curto) porque quero ao máximo evitar spoilers. Assim, não contarei a história básica do filme. Os trailers fizeram um trabalho tão bom em esconder a trama, que acho melhor deixar o público ver para onde a história irá por si só. Mas vale dizer que é muito boa, tendo vários momentos que foram numa direção totalmente diferente do que seria esperado.

Além disso, os protagonistas são humanizados de forma muito interessante, mostrando que também erram apesar de terem a melhor das intenções e que têm seus próprios medos e desejos. Rey, Kylo e Poe especialmente se beneficiam muito disto, desenvolvendo cada vez mais esses personagens que já no Despertar da Força eram muito interessantes!

Vale dizer que, novamente, a ação continua sendo simplesmente espetacular. O diretor Rian Johnson conduziu toda batalha, seja ela espacial, com armas ou sabres de luz, com maestria, transformando combates em uma montanha russa. Acima de tudo, todo combate tem propósito e algo a ser perdido, adicionando tensão à cena como um todo. Nada é gratuito.

Infelizmente, o filme não é perfeito. Embora o primeiro e terceiro atos sejam maestosos na construção da trama, o que se encontra no meio acaba se estendendo demais. Em especial, as cenas no cassino (você entenderá quando ver) poderiam facilmente ter sido agilizadas para melhorar o andamento do filme. Mas no fim, o resto da experiência é tão cativante que você acaba esquecendo desse pequeno problema.

Para finalizar, o elenco como um todo está excelente, porém me sinto obrigado a dar destaque ao Adam Driver, que consegue transparecer toda a dor e sofrimento que Kylo Ren carrega dentro dele. Esse personagem é extremamente complexo e Driver sem dúvida foi capaz de entregar uma atuação capaz para o papel.

Divulgação

Star Wars: Os Últimos Jedi

Star Wars: Os Últimos Jedi é uma experiência incrível, tanto pelo espetáculo como também pelo que ele avança na franquia como um todo. Assistindo esse filme, me senti transportado para minha infância/adolescência de novo. Mesmo tendo problemas, ainda é uma experiência que vale muito à pena!

  • Personagens muito bem desenvolvidos
  • História que quebra expectativas
  • Atuação de Adam Driver
  • Cenas de ação
  • Segundo ato um pouco arrastado
Nota: 4/5