Review | Toy Story 4

ATAQUE DE FOFURAAAAAAAAAAA!

Bernardo Dabul

Quando vieram os créditos de Toy Story 3, depois de limpar as lágrimas que o fim do filme provocou, imaginei que o filme também uma despedida desses personagens e universo. A história estava completa agora, com o Andy doando seus brinquedos para a Bonnie e Woody e Cia. tendo um lar garantido com uma criança para brincar. Pelo jeito a galera da Pixar ainda tinha pelo menos mais uma história para contar em Toy Story 4!

Quando começamos a história, Bonnie está prestes a começar a escola. Enquanto o resto dos brinquedos todos têm sido utilizados diariamente, Woody não é escolhido pela Bonnie para participar das brincadeiras. Frustrado com seu abandono, Woody resolve ir escondido na mochila da Bonnie para o primeiro dia dela na escola.

Sem entrar em muitos detalhes, o resultado disso é que ela cria um brinquedo novo chamado Garfinho. Sim, ele é um garfo descartável com barbante, palito de sorvete e olhos colados. Porém, ele acredita que pertence apenas no lixo, se jogando em qualquer lixeira que vê pela frente. Eventualmente, em uma viagem de família onde a Bonnie leva todos os seus brinquedos, Garfinho finalmente acha uma oportunidade de fugir e Woody vai atrás dele. Curiosamente, Garfinho em si não tem tanta relevância nesse filme além de ser o brinquedo a ser resgatado, mas confia que tudo faz sentido no fim.

Enquanto os outros Toy Stories focavam muito na importância de brinquedos terem um lar e uma criança para brincar, o quarto filme tenta desconstruir um pouco esse conceito. A ideia de que um brinquedo não tem um dono talvez não seja algo tão tenebroso assim. Quem está liderando essa ideia é ninguém mais, ninguém menos que Betty. A personagem retornou depois de seu sumiço notável em Toy Story 3, mostrando que é possível ter uma vida de brinquedo feliz sem ter um lar ou nome escrito no pé.

Vale dizer também que o filme usa essa oportunidade para mostrar a diferença entre Woody e Betty, com ele desesperadamente se agarrando ao que conhece e é familiar, enquanto ela abraça sua nova circunstância, se reinventando e achando uma nova vida. É especialmente interessante ver como esses ideais entram em choque ao longo do filme, dado o histórico dos dois.

Aliás, fico triste em informar que o maior ponto fraco do filme é o Woody em si. Por mais que ele seja o protagonista e o ponto seja ver ele crescer, muitas das decisões que ele toma são unilaterais e sem sequer pensar em como isso afeta os outros. Na prática, dificulta muito gostar dele.

Quanto à atuação, a sessão que fui era em português e fico feliz em informar que a dublagem está ótima! Mais do que isso, a localização é muito bem feita, realmente incorporando gírias e expressões que usamos de forma orgânica e que fazem sentido!

PS: Patinho e Coelho são 10/10, por mais que o filme em si não seja. Você vai entender.

Divulga~~ao

Toy Story 4

Toy Story 4 consegue trazer a turma toda de volta para mais uma aventura que toca em temas interessantes sobre que forma os brinquedos podem levar suas vidas. A dublagem é ótima e a Betty é um show, por mais que o Woody acabe sendo um pé no saco a maior parte do tempo.

  • Discussões interessantes sobre a vida de um brinquedo
  • Betty é uma personagem sensacional
  • Dublagem e localização ótimas
  • Woody no filme é difícil de gostar
  • Garfinho acaba sendo mais um recurso do que personagem
Nota: 4/5