Review | Velozes e Furiosos 8

Um filme estúpido, porém divertido.

Bernardo Dabul

‘Velozes e Furiosos 8’. OITO. Sim, nós chegamos até esse ponto. Quem diria que iríamos tão longe? E quem diria que, apesar de tudo, o oitavo filme de uma franquia sobre carros com Vin Diesel atuando tão bem quanto uma porta, ainda seria divertido? Ainda assim, isso não quer dizer que não tenha erros graves.

Vamos deixar algo claro, logo de cara: o filme, como seus antecessores, é bem estúpido. São cenas de ação bombásticas levemente conectadas por uma história fina. Se você conseguir desligar o cérebro por duas horas, é possível que goste. Caso contrário, siga em frente e compre um sorvete com o dinheiro do ingresso.

A história começa em Cuba, onde Dom Toretto (Vin Diesel) está passando a lua de mel com Letty (Michelle Rodrigues). Ao voltar de um mercado local, ele é abordado por Cypher (Charlize Theron), uma hacker procurada internacionalmente. Depois de uma conversa, ela convence Dom a trair sua equipe e se tornar um criminoso novamente. Letty, suspeitando que há algo errado com Dom, junta o resto da equipe para tentar resgatá-lo, antes que ele seja preso (ou pior).

Charlize Theron como Cypher

Como falei, história não é um ponto positivo do filme. Assim, Velozes e Furiosos 8 atinge seu auge quando as cenas de ação estão rolando, com várias para saciar a sede de espetáculo. Uma perseguição especialmente surreal que acontece no meio do filme vai testar a suspensão de descrença dos espectadores, mas ainda assim, não deixa de ser estupidamente divertida.

O problema está justamente entre essas cenas de ação. Toda vez que Velozes 8 desacelera e tenta construir sua história, o resultado são cenas arrastadas, com personagens não tão interessantes e com diálogos dolorosamente ruins. Especialmente as conversas entre Tej (Ludacris) e Ramsey (Nathalie Emmanuel), os dois que entendem de computadores na equipe, são apenas jargões jogados de forma aleatória. Não faz nenhum sentido.

Outra questão que atrapalha o filme é sua sequência inicial em Cuba, onde tenta remeter ao tom dos primórdios da franquia. Isso por si só não seria um problema, se não fosse pelos amplos closes em mulheres pouco vestidas jogadas em cima de carros. O mundo evoluiu desde que Velozes e Furiosos surgiu, então ver esse retrocesso é um tanto desagradável.

Minha cara ao ver essas cenas iniciais

Quanto às atuações, elas variam absurdamente. Como mencionado anteriormente, Vin Diesel é especialmente ruim, sem qualquer nuância na entrega de suas falas. Por outro lado, sendo o vilão da vez, ele abre espaço para Dwayne “The Rock” Johnson tomar a liderança como Hobbs, trazendo junto todo seu carisma e senso de humor. Jason Statham também retorna como Deckard Shaw, tendo uma dinâmica boa com The Rock. Tyreese Gibson também volta como Roman, mas a essa altura do campeonato o personagem já está começando a ficar cansativo (por mais que todos gostemos de ver o ator ganhar aquele paycheck). O resto do elenco faz um trabalho decente, mas nada excepcional.

‘Velozes e Furiosos 8’ estréia dia 13 de abril de 2017.

Divulgação

Velozes e Furiosos 8

'Velozes e Furiosos 8' é o típico filme que entende o motivo pelo qual as pessoas vão assisti-lo. Em sua maioria, entrega o que o público quer com cenas de ação bombásticas, mas se perdendo às vezes com um roteiro fraco e atuações capengas.

  • The Rock e Jason Statham
  • Cenas de ação bombásticas
  • Roteiro e diálogos estúpidos
  • Retorno ao tom dos originais (no início)
  • Vin Diesel
Nota: 3/5