Imagem por Black Reel Awards

Vamos falar sobre as categorias do Oscar

Qual diabos é a diferença entre Edição e Mixagem de som? Chega mais que eu explico.

Rafael Mei

Fale o que quiser mas eu gosto dos Oscars. As cerimônias são mais ou menos, a Academia é retrógada – vide o fato de só terem atores brancos nos indicados desse ano (e não só atores, e não só esse ano) – e, no fim das contas, as premiações são mais políticas do que qualquer coisa. Ainda assim, é um evento que eu gosto de acompanhar, assistir os filmes indicados e fazer minhas previsões.

Dito isso, o propósito desse texto não são tais previsões, mas sim falar um pouco sobre cada categoria, o que significam e o que a academia costuma buscar em cada uma. Vamos começar listando as 24 categorias:

  • Melhor filme
  • Melhor ator
  • Melhor atriz
  • Melhor ator coadjuvante
  • Melhor atriz coadjuvante
  • Melhor longa animado
  • Fotografia
  • Figurino
  • Direção
  • Documentário (longa)
  • Documentário (curta)
  • Montagem
  • Filme estrangeiro
  • Maquiagem e cabelo
  • Música (trilha sonora original)
  • Música (canção original)
  • Design de produção
  • Curta animado
  • Curta live action
  • Edição de som
  • Mixagem de som
  • Efeitos visuais
  • Roteiro adaptado
  • Roteiro original

Ok, são muitas categorias. Pode deixar, não vou me estender em todas elas senão esse texto não vai acabar nunca. Além disso vou mudar a ordem de alguns prêmios e juntar outro que façam sentido agrupar. Sem mais delongas, vamos começar com as Melhores Atuações.

Melhores atuações

Estou juntando aqui todos os prêmios de atuação – femininos e masculinos, principais e coadjuvantes – pois os fatores analisados para cada um são os mesmos.

Esse prêmio é razoavelmente óbvio, a Academia quer premiar quem atuou melhor. O que vale notar aqui são alguns fatores que costumam pesar na avaliação da Academia nessa categoria.

Costumam ser favorecidos os papéis que envolvem personagens de forte alcance emocional, onde o ator deve expremir fortes emoções, mas também que apareçam de forma sutil em devidos momentos.

Também costumam chamar atenção os papéis históricos, baseados em personalidades grandes em filmes biográficos. Normalmente esses papéis contam também, de certa forma, com o item anterior, mas – além disso – pedem do ator uma grande capacidade para “vestir a pele” de alguém que de fato existiu, exigindo muita pesquisa e treino dos mesmos.

Por fim, outro item de interesse é a “dificuldade” do papel. É notório que a Academia gosta de personagens onde o ator teve que sair da zona de conforto e passar por um processo complexo de interpretação.

Aqui podem entrar características debilitantes do personagem – como, por exemplo, a interpretação de Eddie Redmayne ao representar Stephen Hawking -, caracterização diferente do “lugar comum” – Jared Leto ao interpretar uma transsexual – ou questões dos bastidores da atuação – Anne Hathaway ao interpretar Fantine teve de perder peso e raspar a cabeça.

Vale notar que a escolha dos candidatos a protagonista e coadjuvante em um filme cabe ao estúdio que o produziu e não à Academia. O estúdio escolhe os personagens do filme para enviar à Academia, a qual apenas julga a entrada, ou não, na lista de indicados.

teoria de tudo eddie redmayne
Eddie Redmayne venceu em 2015 ao interpretar Stephen Hawking – papel biográfico, difícil e muito físico (trocadilho acidental)

Fotografia

Antes de tudo, acho importante frisar que esse prêmio se chama Cinematography em inglês (em tradução ao pé da letra, cinematografia) porém a tradução correta para o português é fotografia.

Essa categoria já começa a criar certa confusão caso você não seja familiar com produção cinematográfica. A fotografia diz respeito a todos os aspectos técnicos de como capturar as imagens do filme em câmera. Iluminação, enquadramento, lente, profundidade de campo, cor, etc.

Quando o diretor começa a planejar um filme ele pensa na forma que as cenas serão filmadas, no estilo do filme e o tipo de linguagem audiovisual que será utilizado. Durante esse processo, o diretor conversa com o diretor de fotografia com intuito de passar sua visão do filme para o mesmo.

A partir desse momento, o diretor de fotografia é responsável por planejar como tudo será filmado e as questões técnicas por trás disso. O profissional de fotografia também pode ter algum dizer em questões artísticas do filme, embora isso dependa muito do diretor em questão.

Gravidade Filme
Gravidade ganhou o prêmio pela dificuldade e boa execução técnica

Montagem

Assim como na fotografia aqui há uma diferença entre a nomenclatura em inglês e português. Essa categoria é chamada de editing (traduzida literalmente como edição), contudo o termo traduzido mais correto é montagem. Vale notar que, mesmo assim, muitos se referem a montagem como edição o que não necessariamente está errado.

Montagem é o ato de juntar dois planos de um filme, através dos cortes. O trabalho de um montador é selecionar as melhores tomadas de um plano e fazer a ligação entre eles, seja através de um corte abrupto – apenas troca para o outro plano – ou com uso de técnicas/efeitos de transição.

A montagem é parte importantíssima da produção cinematográfica pois por si só é capaz de criar sentido ao correlacionar dois planos. A montagem também é de suma importância ao transformar um apanhado enorme de material em uma obra coesa, além de ditar o ritmo do filme.

Muitas vezes pode ser difícil julgar uma boa montagem pois seu propósito é, de certa forma, fazer com que o espectador não perceba sua existência, não prestando atenção nos cortes e transições.

É difícil dizer que a Academia costuma favorecer algum estilo de montagem – honestamente eu não sei, pode ser que haja mas não é de meu conhecimento – então pode-se dizer que a escolha do prêmio é feita por uma avaliação completa do trabalho, levando em conta tanto o lado técnico quanto o aspecto artístico.

Whiplash venceu por ter uma montagem com ritmo forte e muito dinâmica. Repare como a montagem é o que faz a cena funcionar (vídeo contém spoilers).

Efeitos visuais

Efeitos visuais não devem ser confundidos com efeitos especiais – que sequer têm categoria no Oscar. Efeito visual é aquele que é aplicado ao filme de forma artificial, representando algo que não estava, de fato, em cena e foi adicionado posteriormente.

Entram aqui todos os efeitos digitais e imagens geradas por computador (CGI, em inglês). Basicamente tudo que não foi filmado “de verdade” no filme é um efeito visual, sendo assim o trabalho de tela verde – onde os atores podem ser recortados de uma cena e aplicados em outro ambiente – também entra nesse campo.

Esse prêmio tende a ser mais técnico do que artísico, sendo avaliada, principalmente, a qualidade técnica do trabalho.

Jurassic Park venceu o prêmio por ter sido um grande avanço nos efeitos digitais
Jurassic Park venceu o prêmio por ter sido um grande avanço no uso de efeitos digitais

Edição de som

Finalmente chegamos em uma das duas categorias mais confusas dos Oscars, a edição de som.

A edição de som diz respeito ao processo de produção de efeitos sonoros para os filmes. Aqui é avaliada a qualidade dos efeitos sonoros e sua aplicação no filme. Entram nesse campo tanto os efeitos sonoros criados especificamente para o filme – como, por exemplo, criar o som do Titanic sendo partido ao meio – quanto os sons capturados durante a produção.

Lidar com todos os sons ouvidos no decorrer de um filme – inclusive falas – é parte do trabalho de edição de som, sendo esse um prêmio técnico nesse ponto, mas também artístico no que diz respeito a criação de sons “inexistentes”. Tende a ser entregue a filmes com uma grande quantidade de efeitos sonoros, como filmes de guerra, pela complexidade dos mesmos.

O Resgate do Soldado Ryan venceu o prêmio pela quantidade e qualidade dos sons. Repare na variedade de sons – chuva, diálogo, tiros, passos, etc

Mixagem de som

Outra categoria que causa muita confusão, a mixagem de som é, na realidade, muito fácil de compreender.

O trabalho de um profissional dessa área é equilibrar todos os diferentes efeitos sonoros de uma cena de forma a gerar um resultado agradável e compreensível para o espectador – a não ser que a proposta artística seja ir contra isso. Esse profissional é responsável por fazer com que em uma cena seja possível escutar claramente as falas junto da música e dos sons da cena.

A Academia tende a dar o prêmio de mixagem de som para filmes que misturem muita música com diálogos e efeitos sonoros e filmes com grande quantidade de sons – pela mesma lógica do prêmio de edição de som.

Os efeitos sonoros de Inception se misturam com a trilha sonora de forma que ambos permanecem audíveis

Figurino / Cabelo e maquiagem

Essas categorias são auto-explicativas, valendo apenas comentar que a Academia tende a favorecer filmes mais “realistas” nesses pontos, principalmente no que diz respeito a cabelo e maquiagem onde costumam ganhar as menos fantasiosas.

O Curioso Caso de Benjamin Button
O Curioso Caso de Benjamin Button ganhou por maquiagem e cabelo por seu trabalho de envelhecer (e rejuvenecer) Brad Pitt

Design de produção

O design de produção também pode ser chamado em português de direção de arte. Trata-se da visão geral estética do filme no que diz respeito a seus cenários e objetos de cena. Aqui entram, como em diversas outras categorias, questões técnicas e artísticas.

São sinais de um bom design de produção o estabelecimento um mundo crível, a qualidade dos objetos e cenários produzidos – de forma a não quebrar a imersão do espectador – e sua capacidade de comunicar situações ou características de personagens.

A Academia costuma favorecer filmes que tenham um design de produção versossímil e com muito material produzido – vide a quantidade de adereços e cenários em Grande Hotel Budapeste, por exemplo.

O Grande Hotel Budapeste ganhou o prêmio de Design de produção pela grande quantidade de material produzido com qualidade
O Grande Hotel Budapeste ganhou o prêmio de Design de produção pela grande quantidade de material produzido com qualidade

Música (Trilha sonora / Canção original)

Em inglês a trilha sonora é chamada de Score.

Esse prêmio também não tem grande mistério, sendo dados para os filmes com as melhores produções musicais. No caso a trilha sonora analisa as músicas do filme como um todo – as peças musicais que servem de “fundo” para as cenas do filme -, enquanto isso a canção original avalia uma única música – nesse caso com vocais e letra.

Let it Go ganhou Melhor canção original porque é uma música simplesmente demais

Melhor longa / curta animado / documentário / filme estrangeiro

De novo, não tem muito mistério, o prêmio vai para o filme dessa categoria considerado o melhor tanto técnica quanto artisticamente. A diferença aqui é que esses filmes não disputam outras categorias.

Up - Altas Aventuras ganhou porque também é demais
Up – Altas Aventuras ganhou porque também é simplesmente demais

Roteiro adaptado / original

Outras duas categorias que não precisam ser muito explicadas. O roteiro adaptado é aquele que é precedido por outra mídia – normalmente de livros – antes de ter sido transformado em um roteiro cinematográfico, enquanto o roteiro original é escrito sem base em outras obras.

Aqui é avaliada a qualidade da história do filme, o quão bem contada ela é, o estabelecimento e desenvolvimento dos personagens e da trama e, também, a criatividade do mesmo.

A Rede Social foi premiado por seu roteiro rápido e afiado
A Rede Social foi premiado por seu roteiro rápido e afiado

Direção

Deixei a direção para o final, junto do melhor filme, por um motivo bastante simples: a direção é aquilo que junta todos os outros prêmios.

O trabalho de um diretor é ter a visão geral de sua obra, tanto artística, quanto tecnicamente. Cabe ao diretor decidir como uma cena será filmada e editada, o que haverá em um cenário, que tipo de vestimentas os personagens vão usar, que tipo de música o filme vai ter, como a atuação dos atores deve ser, e tudo mais.

Claro que uma pessoa só não é capaz de cuidar de tudo isso em uma produção hollywoodiana, então o diretor é responsável por montar sua equipe, escolhendo o diretor de fotografia, o diretor de arte, o figurinista e diversos outros profissionais com os quais ele terá de lidar no decorrer de toda a produção.

É do diretor que partem todas as decisões. Se algo chega no filme final é porque o diretor deu aval para aquele resultado. Existem diretores mais autorais e controladores, que cuidam mais de todos os aspectos de sua produção e existem aqueles que delegam suas atividades, mas independentemente disso a responsabilidade sobre o resultado final recai sobre eles.

É responsabilidade do diretor que o filme seja, no final da produção, uma obra coesa, coerente, com uma visão artística clara e resultado técnico e artístico excelente em todos os âmbitos. Sendo assim, não é difícil entender a existência de uma certa correlação entre o prêmio de Melhor direção e o de Melhor filme.

Entretanto, na avaliação da Academia o principal ponto da direção é a forma a qual o filme é filmado – seus enquadramentos, movimentos de câmera, etc – e a qualidade geral das atuações. Em casos no qual o prêmio de melhor direção e melhor filme vão para obras diferentes, é devido a esse foco na avaliação – sendo o filme excelente nesses pontos mas talvez pior que os concorrentes no conjunto da obra.

Birdman ou (a Inesperada Virtude da Ignorância) ganhou o prêmio de direção por seu trabalho de câmera excelente e qualidade como um todo
Birdman ou (a Inesperada Virtude da Ignorância) ganhou o prêmio de direção por seu trabalho de câmera excelente e qualidade como um todo

Melhor filme

Não há muito o que dizer sobre o prêmio de melhor filme além do fato de que ele, bem, premia o melhor filme do ano. A questão aqui é que aos olhos da Academia o melhor filme é aquele o qual o conjunto da obra tem maior qualidade técnica e artística. O filme é avaliado em todos os parâmetros das outras categorias, para ser escolhido como o melhor no geral.

O melhor filme não é, necessariamente, o filme que você mais gostou, mas sim aquele que teve a execução mais acertada. Normalmente o melhor filme também ganha outros prêmios na cerimônia – sendo os prêmios mais indicativos os de melhor direção e melhor roteiro. É um somatório de todos os outros prêmios, sendo o mais prestigiado da noite.

Edição (25/02/2016): Esqueci de comentar que a Academia gosta de premiar filmes que falam sobre produção cinematográfica e show business.

Forrest Gump levou um total de 7 estatuetas no Oscar, pela qualidade do filme como um todo
Forrest Gump levou um total de 7 estatuetas no Oscar, pela qualidade do filme como um todo

Considerações finais

Por fim, gostaria de agradecer a minha família, a Meryl Streep– ah não, pera, peguei o texto errado aqui.

Quero terminar esse texto apenas salientando uma questão importante dessa premiação que é o fato de tratar-se, acima de tudo, de um evento muito político. Os candidatos das diversas categorias e os estúdios de cada filme fazem verdadeiras campanhas por seus filmes, colocando atores para dar entrevistas sobre a produção – vide, novamente, Anne Hathaway por Les Misérables -, dando festas e enviando as cartas de “for your consideration” (para sua consideração) para os membros da Academia com intuito de, obviamente, divulgar seus filmes.

Além disso, eu seria remisso de não criticar novamente o posicionamento retrógrado e conservador da Academia no que diz respeito às indicações de membros de minorias. No ano passado e nesse apenas atores brancos foram indicados aos prêmios de atuação e isso é muito triste de se observar em um evento do porte do Oscar, que é capaz de alcançar tantas pessoas ao redor do mundo. Só sei que Chris Rock com certeza vai cutucar nessa ferida durante a cerimônia.

Dito isso, no geral, ainda concordo com boa parte das avaliações e premiações dos Oscars, com exceção de alguns casos específicos. Enfim, espero que esse texto tenha ajudado quem quer saber um pouco mais. Se você discorda de alguma explicação ou quer adicionar alguma coisa não esqueça de comentar.