Nintendo Switch: O Bom, O Ruim e o Feio

A apresentação do Nintendo Switch foi repleta de informações. Aqui está o que achei de bom, ruim e feio!

Bernardo Dabul

Em outubro de 2016 a Nintendo nos mostrou seus planos para o futuro, revelando o Switch, mas sem dar muitos detalhes. Agora nós temos uma visão completa do que o console será, junto com alguns jogos que serão lançados para ele.

Embora muitas coisas tenham sido boas, a apresentação não foi perfeita. Sendo assim, vamos passar pelos grandes anúncios da noite para ver o que funcionou e o que deixou a desejar!

O Bom

O Preço

Embora o console seja um feito tecnológico devido à sua natureza híbrida, o preço tradicional de lançamento de $400 simplesmente não funcionaria, ainda mais com os competidores (Xbox One e PS4) oferecendo máquinas mais poderosas por um preço menor.

Por outro lado, vender o console por $250 também seria um erro, uma vez que daria pouquíssimo espaço de manobra para a Nintendo caso algo em seu plano mestre para o Switch desse errado.

Sendo assim, $300 é o preço correto, deixando-o acessível mas sem comprometer seu futuro desnecessariamente.

A Data de Lançamento

Já era sabido que o console seria lançado em março, mas a data final confirmada ficoy para o dia 3 (meu aniversário, caso alguém esteja procurando ideias de presentes). A única real vantagem aqui é que não teremos que esperar tanto para poder jogar!

Sem Trava de Região (FINALMENTE)

O 3DS e o Wii U apresentarem isso foi apenas ridículo, levando em consideração que essa prática estava sendo abandonada pelo mercado como um todo. Muito bom ver a Nintendo liberando o Switch para rodar jogos do mundo inteiro!

PS: A maneira que o apresentador falou na conferência deixa a entender que ainda é possível um jogo ter trava de região, mas a forma que interpretei é que será uma ferramenta opcional para desenvolvedores. Veremos o que acontece.

The Legend of Zelda: Breath of the Wild é um jogo de lançamento


Breath of the Wild tem tudo para ser um daqueles jogos que o mundo inteiro quer conferir. O visual é espetacular, a trilha sonora é majestosa e o mundo parece ser imenso. O trem do hype está a toda velocidade, então colocar o jogo para lançar junto com o console novo é uma ótima forma de movimentar unidades.

Mas para aqueles que têm um Wii U e não poderão investir ainda em um Switch, não se preocupem! Breath of the Wild lançará no console antigo também.

Super Mario Odyssey

Depois de aparecer brevemente na revelação do Switch, a Nintendo finalmente nos deu um nome para o novo jogo do Mario. Curiosamente, nessa aventura o encanador viajará entre várias dimensões, sendo uma delas a nossa!

O jogo está lindo e o gameplay é exatamente como lembramos de outros da franquia como Super Mario Galaxy, mas com algumas novidades! Além de cidades, desertos e selvas, o jogo também tem o Bowser vestido de cafetão. Sério, não tem como ficar melhor.

Super Mario Odyssey será lançado no fim de 2017, mas acho que falo por todos quando digo que ninguém quer esperar tudo isso.

Uma Quantidade Saudável de Jogos…

Além dos nomes de peso, a Nintendo apresentou vários jogos para a plataforma, tanto feitos por ela mesma como alguns de terceiros também.

Da própria Nintendo, temos 1, 2, Switch, que parece ser o equivalente do Wii Sports para esse console. Além disso, também foi mostrado Arms, um jogo de combate usando os Joy-Cons como sensores de movimento, e Splatoon 2.

Na sessão JRPG, temos Xenoblade 2 (também conhecido como ‘Cadê Baten Kaitos 3?’), Dragon Quest X e XI, Dragon Quest Heroes I e II, um Shin Megami Tensei novo e o jogo que devia ter levado o prêmio de melhor pior nome: Project Octopath Traveler.

Project Octopath Traveler, que nome

Além disso temos a confirmação de um novo No More Heroes, Fire Emblem Warriors, Project Sonic 2017 e relançamentos no Switch como Skyrim, Minecraft Story Mode, Dragonball Xenoverse 2, dentre outros.

É uma quantidade boa de jogos para oferecer no console, ainda mais se for levado em consideração o apoio de empresas parceiras que o Switch está recebendo. Porém…

O Ruim

… Mas Poucos Deles no Lançamento

… É preocupante ver que a maioria esmagadora não estará disponível no lançamento.

Super Mario Odyssey será lançado no fim do ano, Splatoon 2 no inverno, o novo No More Heroes, Fire Emblem e Shin Megami Tensei nem receberam trailer de gameplay (ou seja, provavelmente só serão lançados em 2018). O que nos resta é Breath of the Wild, Arms e 1, 2 Switch.

Um novo Zelda nunca deve ser subestimado, ainda mais em se tratando desse que parece ser maior do que os anteriores, mas ainda assim a lista de jogos no lançamento está um tanto anoréxica.

A meu ver a estratégia da Nintendo é lançar o console cedo no ano para os “early adopters” fazerem a festa com o Zeldinha e ir complementando o catálogo de jogos até o natal desse ano, onde ela espera realmente vender mais consoles. Só o tempo dirá se essa estratégia dará certo.

Controles de Movimento DE NOVO

Nintendo, vem cá. Senta aqui, vamos ter uma conversa.

POR QUE CONTROLES DE MOVIMENTO DE NOVO?! Ninguém está pedindo por isso, nunca funciona da forma que vocês falam e só serve para comer a bateria do controle!

Por favor, aposente essa tecnologia datada e não ouse colocá-la no meu Super Mario Odyssey. Ainda não perdoei vocês pela atrocidade que foi os controles de Skyward Sword.

O Preço dos Joy-Cons

Nesse tópico pode parecer que estou pegando no pé da Nintendo, mas quando aqueles controlezinhos custam (o par) $80 e são necessários para jogar multiplayer local de alguns jogos, começa a ser um problema.

Sem contar casos onde o seu quebrou, foi destruído por um animal doméstico, ou roubado por animais selvagens (querem apostar quanto que isso vai acontecer com o Christian?).

O Feio

Duração da Bateria

Por muito tempo foi discutido aqui no 10de10 qual seria o ideal (5-6 horas), o aceitável (4-5) e o inaceitável (2-3) em termos de duração da bateria para o Switch. A Nintendo conseguiu tornar todas as nossas previsões corretas, dando uma resposta nem um pouco específica.

Segundo a apresentação, a bateria irá durar entre 2 horas e meia até 6 horas, dependendo do que estiver sendo usado no console. O exemplo prático dado foi de que o aparelho aguentaria 3h contínuas de Breath of The Wild em uma carga completa. Ainda parece ser bem pouco para jogos grandes, mas só saberemos ao certo quando o console lançar em março.

Nada de F-Zero, Metroid ou Baten Kaitos

Um dia… (Foto: Fabio Santana)

Esperança é a última que morre, né…

É isso galera. Com certeza ainda vamos aprender muito mais sobre o Switch nesses meses até o lançamento, mas por enquanto é isso que temos. O que vocês acharam? Gostaram da apresentação? Estão animados pro console? Comentem aí!