RecomenDabul | Antichamber

Abra sua mente!

Bernardo Dabul

O que falar sobre Antichamber? Parte de mim não quer falar muito sobre esse jogo, porque a experiência de jogar ele pela primeira vez é algo tão diferente e inusitado que sinto que revelar demais vai comprometer o aproveitamento. Ao mesmo tempo, sempre que penso nele quero discutir com alguém sobre ele é completamente diferente do que se tem por aí hoje em dia.

Ok, o básico do básico é que Antichamber lembra Portal em muitos aspectos. Você é um personagem sem voz que deve navegar várias salas com diferentes quebra cabeças a serem resolvidos, sempre buscando uma forma de escapar. Você até ganha uma arma especial, que te permite retirar e colocar blocos nas salas para resolver desafios.

Ao mesmo tempo, a experiência de explorar esses ambientes é seu próprio prazer. Antichamber estabelece bem cedo que as regras que você está acostumado a seguir não se aplicam aqui. Aos poucos, você vai ensinando seu cérebro a pensar de formas diferentes, tentando coisas cada vez mais malucas que, surpreendentemente, dão certo. Parece que você vai ficando cada vez mais maluco, mas é recompensado por isso. Vou deixar aqui um brevíssimo trecho do início, só para dar um gostinho.

Além disso, como deu pra ver no vídeo, a estética de Antichamber é tão surreal quanto suas mecânicas. Além do branco e preto predominante, existem explosões de cores espalhadas de forma que parece aleatória. Essa insanidade também é complementada pelos sons do jogo, que volta e meia reproduz sons do mundo real como de ondas quebrando ou de gaivotas. Tudo complementa bem essa vibe surreal maluca.

Eu vou parar por aqui pra não estragar mais a experiência, mas saibam que Antichamber é uma viagem completamente insana que vai te desafiar a pensar de forma diferente para conseguir resolver seus desafios. O final não é o importante, mas sim a sua jornada para chegar lá!

Antichamber está disponível  no PC, via Steam