3 grandes lições que o cinema me ensinou

Quando eu tinha 6 anos, o Windows 98 foi lançado, soldados norte-americanos estacionados no Golfo Pérsico receberam as primeiras vacinações contra o carbúnculo, e os meus pais se separaram. A única coisa que eu lembro dessa época é que as pessoas ficavam tentando me confortar enquanto eu pensava apenas em uma coisa: dois presentes de aniversário, Natal e Dia das Crianças por ano. Divórcio é show!

Matheus Esperon

Quando eu tinha 6 anos, o Windows 98 foi lançado, soldados norte-americanos estacionados no Golfo Pérsico receberam as primeiras vacinações contra o carbúnculo, e os meus pais se separaram. A única coisa que eu lembro dessa época é que as pessoas ficavam tentando me confortar enquanto eu pensava apenas em uma coisa: dois presentes de aniversário, Natal e Dia das Crianças por ano. Divórcio é show!

o-STAY-TOGETHER-FOR-KIDS-facebook
“Humm, será que devo pedir Star Fox e Goldeneye ou Star Fox e Mario Kart?”

 

Com isso, fui morar com Mãe Esperon, que costumava me trazer um filme em VHS a cada dois dias, no que eu julgo que era uma tentativa de comprar o meu perdão por estar sempre fora de casa trabalhando. E se ela acha que isso deu certo, acertou. Até porque tem apenas uma coisa que crianças gostam mais do que presentes: mais presentes.

A questão é que tendo pouquíssimo contato com a minha mãe durante a semana e encontrando o meu pai apenas a cada 15 dias, coube ao cinema me ensinar algumas coisas fundamentais sobre a vida. Pode parecer meio triste pra você que teve uma infância perfeita regada a pais presentes e caviar (crianças podem comer caviar?), mas sinceramente acredito que tive alguns dos melhores professores possíveis.

À luz de porcaria nenhuma e motivado por nada, decidi reunir aqui três grandes lições que a sétima arte me mostrou ao longo da vida — e não apenas na infância. A minha listinha de aprendizados era maior, mas resolvi começar apenas com três, sem ordem de importância, porque sou um preguiçoso. Já esperem por pelo menos uma parte 2 pra esse post. ;)

1) “O passado pode doer. Mas […] você pode fugir dele ou aprender com ele” (O Rei Leão, 1994)

Eu me considero uma pessoa “copo meio cheio”, ou seja, alguém que consegue enxergar o lado positivo até mesmo das piores situações. Derrubou a sua deliciosa coxinha do Fornalha no chão da rua? Pelo menos você não engordou. Seu filho de 10 anos foi preso por ameaçar o diretor da escola com um canivete? Olha que história legal você vai ter pra contar no próximo jantar de família. Entende?

Fato é que um dos grandes pilares de ver o lado bom da vida (filmaço!) é entender que o nosso passado é uma excelente fonte de aprendizado. Por pior que ele seja, por pior que tenha sido o risco calculado que você tomou (sendo que você é horrível em matemática) ou a chuveirada de bosta que a vida te deu, SEMPRE é possível tirar alguma lição dali. E é essa justamente a ideia dessa cena do fantástico O Rei Leão, demonstrada na prática. “O passado pode doer. Mas […] você pode fugir dele ou aprender com ele.”

 

2) “Às vezes, tudo que você precisa são 20 segundos de coragem” (Compramos Um Zoológico, 2011)

Gostaria de ter assistido a Compramos Um Zoológico — que todos dizem ser excelente — antes de escrever sobre essa lição, mas acho que a divulgação dessa ideia não pode esperar. O MUNDO PRECISA SABER, CARA.

Todos temos momentos em que a força do cagaço grita mais alto do que qualquer outra coisa dentro de nós. Seja na hora de chamar aquela garota pra sair, falar em público ou contar pros seus pais que você deixou o hamster cair pela janela. E a parte mais difícil é sempre dar o primeiro passo. É quando você fica criando diálogos na sua cabeça, imaginando os prováveis — e improváveis — desfechos e se perguntando se você deve mesmo fazer aquilo.
Mas sabe de uma coisa? “Às vezes, tudo que você precisa são 20 segundos de coragem insana. Apenas, literalmente, 20 segundos de coragem vergonhosa. E eu prometo pra você, algo grandioso sairá disso”.

E essa fala do Matt Damon no filme faz mais sentido do que ser proibido dirigir e fazer cirurgia cerebral ao mesmo tempo. Depois que você começa a fazer aquela coisa que te assusta, não tem mais volta. Você já começou! Agora é só seguir em frente, mesmo que o medo volte com tudo. E eu posso falar com propriedade que coisas fantásticas realmente acontecem quando você ativa os 20 segundos de coragem. ;)

 

3) “Ontem é história, amanhã é um mistério, mas hoje é uma dádiva. Por isso é chamado de presente” (Kung Fu Panda, 2008)

Pra fechar, a minha frase favorita de uma das minhas animações favoritas. Sério, se você até hoje não viu Kung Fu Panda, pare já o que você está fazendo e trate de corrigir isso. Humor de primeira, história cativante, personagens memoráveis, cenas de luta sensacionais e, o melhor de tudo, um festival de lições maravilhosas.

Uma coisa fantástica sobre a vida é que ela te dá a chance de recomeçar todo dia. Se hoje foi ruim, só depende de você pra que amanhã seja melhor. A sua história tá sendo escrita diariamente e a caneta está nas suas mãos! Só que fica difícil escrever a sua página diária se você tá preocupado demais pensando no que já aconteceu ou no que ainda vai acontecer.

“Há um ditado: ontem é história, amanhã é um mistério, mas hoje é uma dádiva. Por isso é chamado de presente”. Simples e até meio óbvio assim mesmo: o que passou já aconteceu e não há nada que você possa fazer sobre isso. E o futuro ainda é totalmente incerto. E isso é fantástico! A sua realidade atual pode ser horrível, mas isso não quer dizer nada sobre o que vai acontecer lá na frente. Sempre dá tempo de mudar. Você só precisa parar de se preocupar e focar no hoje pra escrever a sua própria história. :)

Tal como o Twitter é cheio de indiretas, os filmes são cheios de mensagens fantásticas. Essas foram apenas 3 das que eu mais gosto. Quais são as suas lições favoritas do cinema? :D