Viih Tube, a herdeira do revolucionário tiki-taka de Pep Guardiola

Vindos de mundos diferentes e jogando competições nada similares, ambos surpreendem o mundo com tática e visão de jogo muito próximas.

Carlos Alberto Junior

O que seria “jogar” no Big Brother Brasil (BBB)? Criou-se, erroneamente, uma mentira no imaginário popular que, jogar no reality, se resumiu a contabilizar e combinar votos entre os brothers às vésperas das formações de paredão. Esse tipo de definição limitada, curiosamente, faz um paralelo com a forma simplista que muita gente encara o futebol.

A nossa sorte é que de tempos em tempos existem algumas pessoas tão especiais, que criam, sozinhas, pontos de ruptura. Em 2009, o mundo conheceu e passou a admirar o inteligente e eficaz jogo tático de Pep Guardiola, que até então, debutava no futebol comandando um Barcelona que faria história. E em 2021, enfrentando o segundo ano de pandemia no Brasil, estamos acompanhando em tempo real os nós táticos de Vitória Tube em todos os participantes da atual edição do reality show.

Sim, as comparações são muitas e por isso separei em tópicos que deixam clara a semelhança entre essas pessoas de mundos tão diferentes, mas com uma visão de jogo tão acima da média.

Compactação defensiva

Muitos podem resumir as equipes comandadas por Guardiola pelo tiki-taka (sistema de jogo caracterizado pelo amplo domínio da posse de bola, os constantes toques laterais e o repúdio pelos chutões), que, apesar de ser uma característica comum, a maneira na qual seus times se comportam sem a bola também é fundamental para entender seu sistema de jogo e o porque ele é tão efetivo.

Vamos usar de exemplo o maturado Barcelona da temporada 2010/11. O trio de meio campo, formado por Busquets, Xavi e Iniesta, quando ficava sem a bola mudava de posicionamento. Busquets recuava, fazendo uma espécie de triangulo. Por vezes ele ficava atrás dos dois meio campistas com mais qualidade com a bola no pé, e em outras ocasiões ficava a frente da dupla de zaga. Sempre fazendo esse triângulo.

1 – Valdes, 2 – Daniel Alves, 3 – Piqué, 14 – Mascherano, 22 – Abidal, 16 – Besquets, 6 – Xavi, 8 – Iniesta, 17 – Pedro, 10 – Messi, 7 – David Villa

Esse desenho é fundamental para a recuperação de bola, uma vez que o jogador mais próximo do adversário que está com a bola apertava a marcação, enquanto os demais companheiros de equipe que ocupavam a mesma zona do campo, tentavam eliminar as opções de passe, forçando erros ou chutões dos adversários. E é aí que o triângulo defensivo, que era extremamente forte no jogo aéreo, aparece. O trio Piqué, Mascherano e Busquets geralmente ganhava a bola pelo alto. Busquets então distribuía essa bola para Xavi e Iniesta, saindo assim do triângulo defensivo para um triângulo de domínio de posse no meio-campo. Uma transição perfeita.

Outra forma de recuperação da bola é a “blitz” feita imediatamente quando um jogador do Barça perdia a bola. Essa é uma herança da seleção holandesa de 1974, conhecida como “Laranja Mecânica”. O técnico desse time, Rinus Michels, e o ex-jogar e treinador Johan Cruijff, são influências declaradas do técnico espanhol.

Bom, mas e a Viih Tube? Para quem não pegou, vou mostrar como a analogia é clara. Taticamente, o trio de domínio no meio-campo do BBB de Viih é formado por Thaís e Juliette. Ela usa as duas, seja pra se defender ou atacar. Mostrando sua variação de jogo.

Exemplo tático: Viih sabe que Thaís é seu elo mais fraco, mas a usa justamente para ter Juliette, uma das protagonistas do programa, em suas mãos. Isso ficou claro durante a última semana. Sabendo que Juliette é uma má perdedora, tento em vista os acontecimentos após a prova do líder, Viih, ao vencer a prova do anjo, teve uma conversa com a amiga. O resultado: ela passou a morar na mente da paraibana sem pagar aluguel ou IPTU. Alegando não receber um parabéns sincero da amiga, deixou Juliette como vilã desse embate, ao passo que ela pudesse imunizar sua outra companheira de jogo sem que ela fosse a força motriz de um possível atrito no trio.

tiki-taka x tchaki tchaki

Todo gênio incomoda, quando há algo em disputa, isso fica ainda mais forte. Durante o período no Barcelona, Guardiola via em José Mourinho, que neste período comandou Real Madrid e Inter de Milão, como seu principal adversário.

O mesmo roteiro acontece na atual edição do BBB. Gil do Vigor, em meio aos seus erros e acertos, lembra bastante o temperamento do técnico português. E é claro que ele seria o principal adversário da nossa cuspidora de gatos.

Mostrando mais uma vez seu incrível poder de compactação defensiva, ele subiu a marcação pra cima do líder da semana, que há dias atrás a colocou como alvo.

Diferente da tática emocional que usou com Carla Diaz, Viih nos mostra que conhece e estuda muito bem seus adversários. Utilizando uma técnica de superioridade, ela passou a perdoar Gilberto por coisas que ainda nem chegou a fazer. Surpreso com o nó tático, ele imediatamente a descartou como alvo do paredão.

O 100% acabou, mas a invencibilidade segue

No domingo (21), aconteceu a sétima formação de paredão desta edição. Após 55 dias, Viih Tube recebeu seu primeiro voto. Claro que ele viria de Arthur, o cara mais burro da casa. Mesmo recebendo o voto, ele foi o único e Viih se livrou mais uma vez da degola.

O jogo está se aproximando da metade, mas já podemos adiantar que estamos acompanhando um fenômeno. Uma jogadora moderna, tática e calculista. Sabe desarmar todo mundo e segue com uma estratégia inovadora. Independente do desfecho do BBB, quem ganha é o público.